,

,
,

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Suspeito de matar ex-mulher após fim do casamento é preso, em Goiás

Segundo a polícia, pedreiro confessou ser autor da facada que matou vítima.
Ao delegado, ele alegou legítima defesa e depois disse que foi sem querer.
A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (9) o pedreiro suspeito de ter matado a facadas a ex-mulher, em Três Ranchos, no sudeste de Goiás. Segundo a polícia, no momento em que se entregou à polícia de Três Ranchos, o jovem de 25 anos confessou ser o autor da facada .
O delegado responsável pelo caso, Vitor Magalhães, disse ao G1 que o suspeito entrou em contradição ao ser interrogado pela polícia sobre a facada. O delegado afirmou que o rapaz justificou o ato como legítima defesa, dizendo que a mulher teria tentado agredi-lo.“Depois de dizer que a facada foi para se defender, ele disse que a facada foi sem querer”, afirmou o delegado, que caracterizou fala do suspeito como "inconsistente".O crime aconteceu na terça-feira (6), quando, segundo a polícia, Laila Aparecida da Silva, 22 anos, chegava do trabalho e foi abordada pelo ex-marido, que a matou com uma facada. Eles haviam se separado dez dias antes do crime.Separação

Parentes contaram que a balconista saiu de casa, com o filho, no último dia 25 de setembro, após ser agredida pelo marido. A jovem registrou o caso na Polícia Civil. “A vítima disse que eles estavam conversando e ela foi agredida com um soco”, contou Magalhães, que também é responsável pelo caso da agressão.Ao ser interrogado na época, o pedreiro negou o crime. “Ele alega que estava conversando, ele a empurrou e ela tropeçou e bateu a cabeça na parede”, disse o delegado.Na ocasião, a vítima solicitou medida protetiva de urgência. A Polícia Civil encaminhou a solicitação ao Judiciário em 29 de setembro, mas ela não chegou a ser expedida.O inquérito sobre esta agressão foi concluído e remetido ao Poder Judiciário na quinta-feira (8). A Polícia Civil o indiciou pelo crime de lesão corporal no âmbito da convivência familiar, que prevê pena de três meses a três anos de prisão. Assim, caso seja comprovado o homicídio, ele responderá pelos dois processos.Tentativa de homicídio
Laila já tinha sido vítima de outra agressão, em 2013. Segundo o irmão da vítima, Regis tentou mata-la. Na época, o pedreiro chegou a ser preso, mas foi liberado após um pedido da balconista.“Ela pediu medidas protetivas, mas, ao ser ouvida pelo juiz, solicitou que fosse solto porque, segundo ela, eles tinham feito as pazes”, relatou o delegado.O irmão de Laila conta que ela tinha medo das ameaças do marido. “Ela voltou, passou um tempo eles se separaram de novo. Ela voltava com ele por causa de ameaça. Ficava com medo e voltava”, disse Samuel. fonteg1goias


 
Copyright © 2013 OUVIDOR AGORA - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT