,

,
,

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

MP-GO apura denúncias de supostas falhas no novo concurso da Saneago

Divulgação sobre mudanças de locais de provas é um dos pontos criticados.
Promotora de Justiça requisitou que perícia técnica analise o exame.

O Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) instaurou um inquérito civil público para apurar denúncias de irregularidades no novo concurso público da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), cujas provas foram aplicadas nos últimos dias 19 e 26. A promotora de Justiça Leila Maria de Oliveira requisitou informações sobre o exame ao órgão e ao Instituto Brasileiro de Educação e Gestão (Ibeg), responsável pela aplicação dos exames.
De acordo com a promotora, candidatos reclamaram que não puderam destacar o canhoto da prova discursiva, que continha a assinatura e o código de barras e que comprovava a realização da etapa. “Com o cartão de respostas identificado pela assinatura do candidato, a impessoalidade na correção da prova fica prejudicada”, ponderou.
Leila também diz que houve deficiência na publicação da mudança dos locais para realização das provas. Alguns candidatos foram realocados da Área I da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) para a Faculdade Padrão,em Goiânia, sendo que a promotora avalia que não foi feita a devida publicidade.Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa da Saneago informou que o órgão ainda não foi notificado sobre o inquérito civil. Já a diretora do Ibeg, Silvana Silva, disse que o instituto só vai se pronunciar quando o MP-GO formalizar as denúncias.
Outra irregularidade apontada seria na prova para o cargo de engenheiro, com repetições das letras que seriam as alternativas corretas no gabarito. O mesmo aconteceu na prova realizada no ano passado, e que foi cancelada após diversos problemas. Ainda sobre a prova para o cargo de engenheiro, das dez questões de matemática, seis seriam passíveis de anulação, em decorrência de erros de enunciado, de variáveis com nomes trocados e de fórmulas com erro de grafia.
O inquérito vai apurar também suposta irregularidade no gabarito quanto às provas aplicadas aos 26 cargos de nível superior, uma vez que, em provas para 25 cargos, teria ocorrido repetição de gabarito nas questões 1 a 50, em um universo de 60 questões. Para os cargos de nível médio, foram realizadas provas para dez deles e, em todas, os gabaritos das questões de 1/50 seriam idênticos, em um universo de 60. Da mesma forma, para os cinco cargos de nível fundamental, os gabaritos seriam idênticos nas questões 1/20.
Na prova para contador, o MP também apura outra suposta falha. A partir da questão 31, deveriam ter sido abordadas questões específicas para a área de contabilidade. No entanto, em 15 questões foram sobre temas relacionados às Diretrizes Nacionais de Saneamento Básico.
Leila diz, ainda, que os candidatos foram impedidos de sair do local de prova com o caderno de questões, mesmo permanecendo nas salas até 30 minutos antes do término da prova. Isso, segundo a promotora, impossibilitou a interposição de eventuais recursos.
Como providências iniciais, Leila requisitou informações ao Ibeg e à Saneago sobre esses fatos e solicitou à Coordenação de Apoio Técnico Pericial (Catep) do MP-GO avaliação do conteúdo programático exigido para o cargo de contador, confrontado com a prova aplicada.

Problemas
O concurso da Saneago teve problemas na primeira aplicação, em 30 de junho de 2013, e as provas acabaram canceladas por recomendação do MP-GO.  Na ocasião, candidatos denunciaram a divergência na quantidade de questões na prova e no cartão de respostas. Uma investigação apontou que o Ibeg, responsável pela organização do concurso, terceirizou os serviços de impressão das provas.

A Saneago chegou a anunciar que faria um novo cronograma, quando o Tribunal de Contas do Estado (TCE), no início de julho, determinou a paralisação do processo seletivo, inclusive a aplicação de novas provas, pela ausência do encaminhamento do edital ao órgão para a fiscalização.

No dia 31 de outubro do ano passado, o TCE voltou atrás e revogou a medida cautelar que impedia a aplicação de novos exames e a estatal foi autorizada a dar andamento no processo seletivo. As provas foram reaplicadas nos dias 19 e 26 de janeiro deste ano.
fonte g1goias




 
Copyright © 2013 OUVIDOR AGORA - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT