,

,
,

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Pires do Rio terá uma nova eleição neste domingo para escolher um Novo prefeito

O ex-administrador Luiz Eduardo Pitaluga teve mandato cassado pelo TRE.
Ele foi condenado por compra de votos e a Justiça determinou o novo pleitoOs moradores de Pires do Rio, a 145 quilômetros de Goiânia, escolhem no próximo domingo (1º) o novo prefeito que irá administrar a cidade nos próximos três anos. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou no último dia 16 de setembro o mandato do ex-prefeito Luiz Eduardo Pitaluga (PSD) e do ex-vice-prefeito José Antônio Silva (PT), condenados por abuso de poder e compra de votos. Após o esgotamento dos recursos, foi determinada uma nova eleição para o município.

O candidato Júlio César Carneiro, do PMDB, visitou na quinta-feira (27) os comerciantes do centro. “Trabalho com o pé no chão, andando casa por casa. Não em todas, pois não dá para cobrir toda a cidade e o tempo é curto. Mas tivemos uma aceitação muito grande da população de Pires do Rio”, disse.
Rondon Braga, candidato do PDT, também caminhou pelas ruas do município. “Estou feliz, alegre com a receptividade do povo e pela ânsia e vontade da mudança, da renovação”, afirmou.
Única mulher na corrida eleitoral, a candidata Cida Tomazine (PSDB) fez corpo a corpo com os eleitores e destacou suas propostas. “Falamos com muita gente. Não fomos de casa em casa, mas penso que atingimos o nosso objetivo”, destacou.
Já o prefeito interino de Pires do Rio, Ruimar de Almeida, candidato do PSD, visitou a Vila Mutirão e disse estar confiante na eleição. “Estamos entusiasmado com a nossa campanha, pois tenho recebido apoio de toda a comunidade”.


Na reta final das campanhas, os quatro candidatos que estão na disputa aproveitam os últimos dias para apresentar suas propostas e convencer os eleitores da cidade.

As pessoas convocadas para atuar durante a eleição passaram por um treinamento no Tribunal do Júri, que fica no Fórum de Pires do Rio. Ao todo, são 67 presidentes de mesa e 268 mesários, que foram nomeados pela Justiça Eleitoral. Além de fiscalizar os trabalhos, essas pessoas também serão responsáveis pelo encaminhamento dos votos recebidos para a apuração.

Cassação
O ex-prefeito Luiz Pitaluga e o vice José Antônio Silva eram investigados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) desde as eleições do ano passado. Eles eram suspeitos de comprar votos.
Segundo a promotoria, o prefeito, que à época era candidato à reeleição, ofereceu aumento de salário a alguns servidores e gratificações aos professores do município, em troca de apoio político. “Foi comprovado o uso da máquina pública para se promover e se eleger”, afirma o autor da decisão, o juiz Luciano Hanna.

De acordo com o TRE, além de cassar os diplomas dos políticos, a decisão determinou que ambos ficassem inelegíveis por oito anos. Também foram aplicadas multas a Pitaluga no valor de R$ 53,2 mil, por captação ilícita de votos, e outra, no mesmo valor, pela prática de conduta proibida a agentes públicos. Ao vice-prefeito foi imposta multa de R$ 5,3 mil, também pela prática ilegal.
fonte g1/goias


 
Copyright © 2013 OUVIDOR AGORA - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT